super

2 posts

Despedida do Pitoco

Onde eu trabalho é assim: uns vem, e outros vão. Desde que fui pra lá várias pessoas já foram pra outros setores, outras tantas chegaram. É assim, todo mundo querendo alçar vôos. Mas o problema é que as vezes você se apega as pessoas. Eu sou assim, me apego fácil, viro amiga de infância, e quando a gente percebe, tem que dizer tchau. O Paulo, o Pitoco, é uma das pessoas que vamos mais sentir falta lá na Super. Um cara gente finíssima, super alegre, com um coração de ouro e uma paciência imensa. E pra dizer tchau, fizemos um churras lá no trabalho mesmo, e a maioria das pessoas foi. Porque ele é querido pra caramba, e coitado dele se ele pensa que se livrou da gente, daqui a pouco a gente aparece pra tomar um chopp no Pinguim, viu!

E aproveitamos o encontro em uma das festas da Super pra tirar uma foto da equipe inteira. Vou falar baixinho pra ninguem escutar e gorar, mas essas equipe é show de bola, viu. E a foto ficou mais uma vez digna de álbum, a alegria de sempre, a diversão, as besteiras sempre presentes.  E embora esse cara esteja indo pra outro lugar, lá no Banco as coisas giram tão rápido, que em breve a gente se encontra de novo.

A equipe mais bonita da cidade

E, pra eu não esquecer das pérolas, lá vai:

-qué me fudê me beija

– Você já foi hoje?

– Quem vai dar carona pra gente hoje?

– Copo de 300 ml de café – pra começar o dia

Feriado

Eu acho que já comentei aqui quanto eu tenho sorte com meus empregos. Sempre trabalhei com pessoas incríveis. Desde o primeiro emprego, quando fui recepcionista numa clínica médica. Lembro de tantas pessoas que trabalharam lá e só consigo lembrar das risadas. A gente ganhava tão pouco, mas se divertia tanto.

Depois veio a escola em São Paulo, e depois aqui em Bauru. Aqui em Bauru foram quatro anos de Jaraguazinho e vários amigos que levo até hoje. Sempre nos encontramos e as risadas lá, presentes. Eu acho que uma das características minhas é saber rir. Olha, nisso eu sou especialista, viu rsrs. Rio até quando não pode.

Quando eu saí da clínica, e da escola, achei que nunca mais seria tão feliz nos meus empregos. Tolinha eu, né? Fui para o Banco, a micro, e foi quando conheci essa mulher aí da foto ao lado. Ela era minha chefinha (eu já disse que sempre tive sorte com chefes? #meinvejem). Daí mais mudanças, veio o arquivo, e pessoas que eu só conhecia de vista ficaram mais próximas, e mais risadas, mais pessoas novas invadindo voluntariamente minha vida. Eu sempre escuto histórias de gente se desentendendo com os colegas, dificuldade de trabalhar com um ou outro. Eu não me lembro de ter passado por isso. acho que é porque quando você esta disposto a trabalhar E fazer amigos, as coisas fluem.

Bom, voltando ao título do post, o feriado foi na terça feira, e claro que eu e Bruno iríamos trabalhar na segunda. Sem viagens. Mas, um churrasquinho com o pessoal do serviço dá, né? Tudo organizado pela pessoas mais organizada que eu conheço, e tudo delicioso. E as famílias, os amigos, as risadas. Até a chuva que caiu torrencialmente pela manhã deu uma trégua para o nosso churrasco, durante todo o dia, e até nos presenteou com um solzinho.  E eu levei a câmera claro, para registrar tudinho e lembrar que quem faz nossos momentos somos NOZes. Que vale a pena investir nas amizades, nas risadas, na alegria. Quem duvida? Espia as fotos aí embaixo.