#aosquatroemeio

Clarice aos quatro anos e meio:

  • continua amando a turma da Mônica e seu personagem preferido é o Cebolinha
  • está alfabetizada
  • lê livros e interpreta os textos
  • reconhece números até os milhares; faz contas simples e sempre tem uma pergunta que envolve uma resposta de número negativo ou com vírgula que eu evito responder kkkk
  • sabe o dia, o mês e o ano que estamos. E sabe o dia da semana também
  • ama Beatles e conhece mais as músicas do que eu
  • adora jogos em família: cara a cara, pula pirata, quem sou eu, cai não cai
  • começou a fazer amizades na escola e sua melhor amiga é a Giulia
  • é extremamente carinhosa: fala eu te amo várias vezes ao dia, e também quando está prestes a levar uma bronca kkkk
  • reza todos os dias antes de dormir para agradecer pelas coisas boas que aconteceram naquele dia, e muitas vezes o agradecimento é “pelo nosso amor, pela nossa família” e isso me deixa absolutamente mais encantada ainda por ela
  • fala muitas vezes obrigada e por favor. Algumas vezes precisamos lembrá-la, mas quando ela diz naturalmente, dá um orgulho danado
  • está na fase de ficar brava, de mal, faz cara feia para mim, eu me seguro para não rir
  • faz balé, judô e robótica na escola
  • ama sua escola, suas prôs e pede para ir pro nível IV sempre (próximo ano na escola)
  • começou a se interessar por assistir filmes de desenho, já vimos vários, como Carros, Frozen, A princesa e o sapo e vários outros, estamos criando um dia do filme para virar tradição aqui em casa
  • Não assiste TV
  • Já foi em mais exposição, teatro e museus do que eu na minha vida toda
  • Tem tarefa na escola três vezes por semana. E quer fazer a tarefa ASSIM que chega da escola kkkk
  • É apaixonada pelos avós, tios, padrinhos e primos. Sempre fala deles, fala que sente saudades, fala que queria morar em Bauru. Especialmente depois de passar uns dias com eles, sente muita falta, o que me consola é que as casas dos avós e padrinhos está sempre aberta para ela (e para nós)
  • AMA livros. Faz cocô lendo livros ou gibizinho kkk e enquanto não acaba o gibi não sai da privada (too much information)
  • É muito inocente. Absurdamente. Eu não sei o porquê, mas ela não bate, não briga, não tem as conversas como as meninas da idade dela que já falam frases como “não sou mais sua amiga”, ou que nessa idade, pasmém, já querem ter namoradinhos e ver os meninos com outros olhos. Eu não sei até que ponto isso é bom, porque ela não entra nem pra se defender direito.

Música preferida: Qualquer uma dos  Beatles  ou Melim

Livro Preferido: O Grúfalo, Julia Donaldson

Comida Preferida: Continua com o arroz e feijão, mas adora chocolate e pirulito, e croissant de chocolate também

Brincadeira preferida: jogos em família ou parquinho

Eu nunca vou me esquecer #parte3

Eu nunca vou me esquecer do dia que eu perguntei “Clarice, que música você quer ouvir?”, e você me respondeu “A culpa deve ser do sol, do Chico Buarque”. Desse jeitinho assim. E quando acabou, ainda me disse: agora Sarandupió.

Eu não vou me esquecer do dia que perguntei o que você fez na escola, e você me respondeu: escrevi Chase. Eu: Como? Você: Tê, i, e, esse, e. E do dia que voce soletrou google. Gê, ó, gê, gê, ele, e, e depois falou Gógle. Assim kkkk. E do dia que eu tive que adivinhar que música era we ser no susha ryca. Demorou até eu perceber que era Come Together, dos Beatles.

“He wear no shoeshine

He got”

Não vou me esquecer de ouvir você contando: cem, duzentos, trezentos, quatrocentos, cincocentos… milcentos, ops, não, é mil klkkkk

Eu não vou me esquecer das suas frases:

  • A luz não está apagada, está acendida
  • Tô com o olho abrido, mamãe
  • Mamãe, a Kumi é muito impressionante
  • Na oração antes de dormir: Obrigada pela batatinha, e pela dança do beat bugs com a mamãe
  • A gente indo para o shopping, você soletra: estamos indo para o cê, agá, ó, pê, i, eme, chópim kkkkk
  • Vendo a roda gigante que foi montada no shopping, você exclama: mamãe, igual o Ticket to ride.
  • Você dentro do carro: Uauuu, é fascinante, a casinha é um castelo (era uma igreja rs).
  • Eu gritando com o papai: mamãe, não fala assim com o papai. Você vai perder o seu direito kkkk
  • Mamãe, eu fiz um susto (quando se assustou com alguma coisa)
  • Senta que a mamãe vai esquentar o seu papá. Não, mamãe, você vai geladar o meu papá
  • Eu pinti dentro do vê

Eu não vou me esquecer quando você chegou da escola cantando. a música que um dia eu cantei também, e nem lembrava que ela existia:

Essa é a história da serpente

Que desceu do morro

Para procurar um pedacinho do seu rabo

Você também, você também

Faz parte do meu rabão

Eu nunca vou me esquecer da gente brincando de o que é o que é e você escolhe qualquer coisa e descreve perfeitamente a brincadeira. Não vou me esquecer de quando você inventou: o que é o que é, uma árvore bem grande que começa com a letra n: natal! kkkkk

Eu nunca vou me esquecer de quando você voltou a brincar com a tartaruga de fantoche e disse que ela se chamava Ramina. Eu achei lindo e você quis soletrar o nome dela. Agá, á. Oi? Com h? E você disse: é, Hamina é com agá, igual hambúrguer (leia-se com sílaba de erre no começo kkkk). Eu não vou me esquecer do quanto você gosta da sua sapinha Potato. Você leva ela para todos os lugares, desde um aninho de idade. E diz que ama, diz que é sua amiga, fala mais eu te amo pra Potato do que pra mim kkkk

Eu nunca vou me esquecer quando chegamos na porta do colégio Cene e você leu o site deles: uuu colégiocene com bri kkkk

Não vou esquecer as frases:

  • Espelho espelho meu, existe alguma criança que não gosta de comer massinha?
  • Mamãe, quero ir na picoleria
  • Tentando pegar meu celular: mamãe, finge que eu sou um adulto (eu falo que celular é coisa de adulto kkkkk)
  • Quando eu disse: Clarice, vem experimentar o tênis. Tênis não é de comer mamãe

Eu não vou esquecer você cantando e dançando a música de dia das mães:

E ver o mar quebrar, poder te abraçar

E antes de deitar imaginar quando vai ser

Quando eu te encontrar, velhinha no sofá

Cabelos de algodão e muita história pra contar

A mamãe registra tudo aqui para não esquecer desses momentos tão especiais e divertidos nas nossas vidas, que a mente uma hora vai esquecer e eu vou poder sempre relembrar. 

#aosquatro

Clarice aos quatro anos de idade é uma menininha incrível. Esperta, inteligente, de muito bom gosto. Encarou a mudança pra São Paulo com a maior naturalidade, se adaptou super rápido por aqui e é a melhor parceira de aventuras que existe.

  • Está no nível 3 na escola
  • Ama sua escola, suas prôs, seus amigos. Se desenvolveu absurdamente esse ano. Conta as coisas da escola, fala dos amigos, e ainda escolheu fazer balé, judô e robótica.
  • Está completamente alfabetizada (aprendeu a ler sozinha com menos de três anos e hoje lê livrinhos de historinha)
  • Ama Beatles, The Beat Bugs, Mundo Bita e Chico Buarque
  • Gosta de alguns rocks pesados do papai, como Slipknot e Marilyn Manson. Até canta as músicas preferidas rs
  • Seu beatle preferido é o Jhon Lennon
  • Conhece e reconhece todas as notas musicais de ouvido. Aprendeu a tirar algumas musicas no teclado (dona aranha, ciranda cirandinha, cai cai balão e até Yellow Submarine)
  • Está numa fase completamente apaixonada por turma da Mônica. Seu personagem favorito é o Cebolinha. Tem um pelúcia que ela dorme e acorda com ele, beija mil vezes e diz que o ama o tempo todo rs Ama os gibis, algumas vezes lê as histórias, outras vezes olha os personagens e inventa as próprias histórias. A sua imaginação é a coisa mais linda.
  • É muito carinhosa: beija, abraça, quer colo. Mas só quando quer rsrs
  • É a melhor parceira que existe. Vamos juntas em bares, restaurantes, museus, shoppings, teatro. Nas viagens anda muito, as vezes pede colo, mas eu logo falo, “ué, você não quer conhecer novos lugares?” Pronto, continua andando como gente grande. Sempre juntas, sempre se diverte. Explora os lugares, finge que está tirando foto, dança e canta o tempo todo. É super engraçada.
  • Adora andar de metrô aqui em SP. Não pode sair de casa sem passar numa livraria. Esses dias fomos passear e ela disse: esquecemos de passar na livraria 

  • Continua apaixonada pelo sapinho. As vezes deixa ele de lado, mas quando o encontra é só amores. Fala que ama, diz que está amando o sapinho rsrsr
  • Já conhece mais lugares em São Paulo do que algumas pessoas que nasceram em São Paulo rs vamos em todos os lugares: shows, museus, exposições. Estamos curtindo cada pedacinho dessa nova cidade.
  • Se troca sozinha, escova os dentes, coloca tênis, come sozinha, quer fazer tudo SO ZI NHA. As vezes cansa, haja paciência, mas é tão lindo vê-la crescer e ficar cada vez mais independente. As vezes até demais

Sou suspeita porque amo todas as fases, mas cada dia que passa fica mais incrível ter Clarice com a gente. Um aprendizado diário, muitas risadas das pérolas (preciso fazer um post sobre isso – escrevo nas notas do celular – preciso eternizar aqui).

Voa filha, que o mundo é seu, e somos sua platéia.

Carta para Clarice – mês 48

Hoje você faz quatro anos. Quatro anos! 

Você é minha joia rara, é linda, você é o meu amor. Minha passarinha, meu pequeno grande coração, a tradução mais verdadeira do amor que eu já experimentei. Minha alegria é te ver crescer cada dia mais linda, com esse brilho nos olhos, com essa felicidade genuína, com toda essa luz que te permeia e te guia. Obrigada por ser o presente mais lindo e incrível que ganhei na vida.

Há quatro anos você nasceu e eu renasci. 4 anos, no momento exato em que publico esse post. Dia 20/04/2015, às 19h33. Quem me conheceu antes de você sabe no que eu me transformei com a tua chegada. No que VOCÊ me transformou. Obrigada por me escolher, filha. Por me bagunçar, me virar do avesso. Continue tirando tudo do lugar. Minhas certezas, principalmente. Mantenha-se questionadora, inteligente, especial. Você tem esse seu jeitinho que encanta todo mundo. Feliz aniversário, pituquinha! Que sempre transborde amor, que nunca te falte coragem!

Você é assim. O tempo é seu, e você sempre me levando para novidades, descobertas. Você me olha no fundo dos olhos e me mostra que é o presente que importa. É a presença. Você é um milagre. Espelho dos meus defeitos, lição sobre minha ingenuidade, indiferença aos meus medos. A expectativa e o nunca esperado. Você é a contadora das minhas historias, minha aula diária de ser gente. Amo as surpresas a cada instante, amo a vida que não planejamos. Amo como somos companheiras e nunca solitárias. Cúmplices, mas nao dependentes. O que posso fazer de mais bonito é ensinar a voce viver sem mim.

Voce é uma surpresa diária de mim. Meu projeto de ser melhor, minha maturidade no grito, minha muda de gente que vingou.

Amo voce pequena.

Poucas coisas nesse mundo são tão importantes quanto criar filhos. Em todas as épocas, todas as eras, todos os tempos e lugares, as crianças são nossos tesouros, nosso futuro, nossa imortalidade – o elo vital da cadeia da humanidade. Palavras me faltam e uma pequena lágrima escorre pelo meu rosto. De felicidade e emoção, por ter por lindos quatro anos você em nossas vidas. Toda vida e toda luz para você, minha pequena. A alegria se mistura na tristeza de te ver crescer. Mas voa passarinha, que foi pra isso que você veio aqui, né?

Feliz aniversário meu pequeno grande amor.

Eu nunca vou me esquecer #parte2

Eu nunca vou me esquecer do dia que você pediu a música  “fuik” no carro, e demorou pra eu perceber que era a música Freak do Silverchair que você queria, e a partir daí foi escolhendo as músicas para escutar no carro. No nada: – “mamãe coloca a culpa deve ser do sol”. E depois pediu Sarandupió. E do nada, um dia, pediu pra ouvir o Panic Disco ahahaha. E não vou me esquecer do dia que você disse que eu “ia perder o direito” se eu gritasse com o papai.

Eu nunca vou me esquecer de você contando os números: cem, duzentos, trezentos, quatrocentos, cincocentos. Ou quando você se assustou e disse: mamãe, eu fiz um susto rs. E quando você disse no carro que o castelo era fascinante e a Kumi impressionante.

Eu nunca vou me esquecer das orações que você faz antes de dormir. Quando agradece pela casinha, pelas frutas e pelo arroz, pelos avós, tios e padrinhos. Pela presença, pelas brincadeiras, por nós. Eu sei que não vou me lembrar das palavras exatamente, mas eu nunca, nunca vou me esquecer do que senti e sinto nesses momentos.

Não vou me esquecer que seu olho está “abrido e a luz tá ascendida”, que você pediu a música “nosusharica” e quando eu pedi pra você cantar a música, porque eu não tinha ideia de qual era, você cantou direitinho Come Together dos Beatles. 

Eu nunca vou me esquecer que precisou você vir ao mundo pra me mostrar os Beatles.

Eu não vou me esquecer nunca você falando: “eu pinti dentro do vê”. Mamãe vai “geladar” o meu papá (ao invés de esquentar ahahah), eu já erguei as calças. Essa mistura de verbos é tão linda, embora você fale muito bem, eu amo quando acontece esses errinhos.

Não vou me esquecer nunca, quando você viu uma foto da sua turma nova da escola de São Paulo e me disse o nome de todos os amigos. Detalhe: nome e sobrenome. Julia Nogueira, Mateus Oliveira, Mateus Leme, Mariana Leticia, Davi Rodrigues e por aí foi, o nome de todos. Parecia a professora fazendo lista de chamada ahahaha

Tantas coisas eu não vou me esquecer, e escrevo pra caso aconteça, reler e sorrir. O sorriso mais doce e genuíno, de ter um serzinho como você nas nossas vidas.

Carta para Clarice – mês 36

Clarice,

“Tereis” anos, minha filha. Você completou três anos e eu mal posso acreditar. Como assim aquele bebê que eu fotografava semanalmente tem agora “tereis” anos, como você mesma diz rs

Eu pisquei e agora tenho uma menininha em casa, que sabe falar o erre das palavras, que escolhe os livros na livraria, não tem medo de nada pela frente, pula, enfrenta, se arrisca, sabe que o mundo é todo seu. Ainda apaixonada pelo sapinho, muito precoce querendo só saber de letras e números, inacreditavelmente está lendo algumas palavras, reconhece e conta até o 100, em português e inglês. Mais do que listar tudo que você sabe fazer e nos impressiona, prefiro mais uma vez reforçar o quanto sua presença em nossas vidas alegra e ilumina. A gente se diverte, ri o dia todo, é cada coisa que você fala.

A escola nos chamou pra conversar, você ao mesmo tempo que é mais quieta que as outras crianças, está há anos luz na frente no aprendizado. Forma, cores, letras, números, palavras, livros, tudo isso te fascina e por mais que a gente mude o foco, você volta neles.

Sua festinha de três anos não poderia ter outro tema, né? ABC e 123 rs. Titia Mariana fez tudo: decoração, lembrancinha, caixinhas, tudo. E ficou tão lindo, você repetia a todo tempo que queria uma festa do abece um dois três.

A gente celebra sua vida, minha menina, porque você só trouxe coisas boas. Aprecia as coisas boas da vida, como uma boa música e brigadeiro. Por falar em música, você está encantada pelas músicas dos Saltimbancos. Canta todas, pede algumas específicas e aprendeu a tocar no xilofone a Minha Canção. O papai tocou uma vez e você logo imitou. Agora para nossa surpresa, do nada você tocou o refrão do Rebichada sozinha no xilofone. E reconhece todas as notas musicais. Não sei de onde você herdou toda essa inteligência, sensibilidade para música. Acho que são muitas vidas evoluídas em você, minha filha, não tem outra explicação não.

Eu desejo sempre minha filha, sempre, que você seja feliz. Se é música que lhe faz feliz, música você vai ter. Se são números ou letras, também terá. A gente anda procurando umas sarnas pra se coçar, achando que tem alguma coisa errada, aliás, muito certa com você. Mais pra frente você vai entender. Eu só não quero errar por deixar de fazer, por isso faço, mas sei que seu espírito evoluído que veio pra transformar que nos impressiona.

Continue assim, sensível, inocente e inteligente. Que sabe o que quer, que não precisa e nem quer agradar os outros. Que nosso amor te guie pelos melhores caminhos, que você continue fazendo a diferença e encantando todos ao seu redor.

Eu não consigo nem expressar o quanto tenho orgulho de ser sua mãe. Que Deus me dê muita sabedoria para ser a mãe que você merece.

Brinquedo favorito: lego, letras coloridas

Comida favorita: arroz, feijão

Música favorita: Todas dos Saltimbancos rs

Desenho favorito: Busy Beavers e Festa de Palavras

Livro favorito: Hora de Brincar, Sapinhos. Monstro Rosa

Brincadeira favorita: Balanço e escorregador. Massinha

Retrospectiva 2017

2017 se foi, muito mais rápido do que eu poderia imaginar.

Começamos o ano no nosso apartamento novinho, super contentes dessa conquista incrível que 2016 nos proporcionou. Após três longos anos vendo cada tijolo ser erguido, acompanhando a evolução do nosso sonho, nos mudamos no final de 2016 e começamos 2017 no nosso tão sonhado cantinho. Nele, uma menininha começou o ano dormindo na caminha no chão, largando o berço que a acolheu por quase dois anos. E foi logo no mês de janeiro, mal sabendo falar palavrinhas direito, que ela descobriu os números. Me lembro como se fosse hoje o dia em que ela repetiu de um a dez, olhando para um relógio de brinquedo enquanto eu trocava sua fralda. Ali começaria um caso de amor ahahahah Aí também começaria um combo de aprendizado, conquistas, evoluções, que ao longo do ano de 2017 transformaria minha bebezinha em uma mocinha linda, independente, inteligente.

Mal consigo agradecer o suficiente por vivenciar todas essas fases incríveis que esse último ano nos trouxe.

Junto com os números veio o amor às letras e as cores. A fase das cores foi incrível ahahahah ela não podia ver alguma coisa com a cor que gritava super empolgada. Em QUALQUER lugar. “Vermeeeeeeelho, avulllll, aiaaaaa” (era o laranja). Eu mal lembro que ela não sabia pronunciar as cores, e hoje fala tão bem. Um ano é realmente uma revolução na vida de um bebê de dois aninhos.

Foi um ano realmente incrível. Com viagens a praia, festinha de aniversário da Minnie mais linda, passeio no Blue Tree Park hotel, páscoa, festa junina, livros, sapinho, princesas, família.

No segundo semestre também teve mais novidades, Mamãe e papai conseguiram se organizar para voltar a fazer exercícios e cuidar da saúde, e inclusive voltaram a correr. Teve uma menininha que demonstrou que tava na hora de sair das fraldas e saiu. Simples assim, Começou no peniquinho e quando piscamos já estava fazendo tudo na “plivada”.

E junto com isso veio toda uma independência que só quem é mãe de uma menina nessa idade sabe como é rs escova os dentes sozinha (e aaaama escovar os dentes), quer empurrar o carrinho no mercado sozinha, quer subir na cama sozinha, descer, ir no banheiro, enfim, quer mostrar que aquela bebezinha do começo do ano não é mais uma bebezinha não.

2017 foi um ano de muito aprendizado. Aprender como lidar com esse serzinho que muitas vezes parece que tem 10 anos de idade. Aprender a lidar com sua curiosidade, sua intensidade, suas vontades. Mas viver tudo isso é ainda melhor. O dia dos pais na escola, a alegria quando está dentro de uma piscina, a fascinação pelas letras que é surreal de impressionante. A alegria quando encontra um escorregador ou balanço.

Eu mal posso esperar o que 2018 nos reserva. Uma menininha de três anos ainda mais esperta, a nossa família cheia de saúde (amém) e muitos momentos juntos.

Eu só tenho agradecer por nossas vidas, nossa menina, nossas gordas peludas, nosso trabalho, nossa vida. Que eu possa retribuir de alguma forma tudo que o universo nos dá. Que venha 2018!

Carta para Clarice – mês 30

Pituquinha,

Os dois anos e meio chegaram e com eles as palavras, as frases, o entendimento das coisas, a esperteza em um nível incrível. Que privilégio o meu, ter a oportunidade de ver um serzinho tão especial como você descobrir o mundo.

Você aos dois anos e meio tem uma energia impressionante. Sério. De ficar uma festinha de aniversário inteira intercalando os brinquedos pula pula e escorregador, e só parar na hora que o corpinho pede água e olha la rs

Você é fissurada por escorregador rs E temos a sorte de viver em um prédio que tem um playground com escorrega. Quer vê-la feliz? É só descer pra brincar um pouquinho. E você escorrega uma, duas, duzentas vezes sem parar rs E repete como na música: “eu quelo blincar de escorregador”. “Então brinca”, eu sempre respondo rs

Essa fase de falação é muito engraçada. Muito embora muitas vezes só a mamãe te entenda, a gente se comunica super bem e você se faz entender. Fala muito bem o “não quelo”. Eita que eu não aguento mais ouvir essa frase: é “não quelo” o dia inteiro. kkkkk haja paciência né.

Nós finalmente liberamos um pouco mais sua alimentação e você descobriu o bligadeilo rsrs Bobinha você né? Ahn o “pilulito” também, as duas coisas que você mais gosta do novo mundo de sabores ao qual foi apresentada. Mas continua comendo super bem, obrigada.

Filha, eu já disse mais de uma vez o quanto você é especial, importante, essencial nas nossas vidas. E vou sempre repetir. Você veio pra somar, e o tempo vai passando e a gente só tem mais certeza disso. Eu tenho até medo do quanto te acho incrível e especial, as vezes acho que sou exagerada em achar você linda, inteligente, esperta, diferenciada rs Toda mãe é meio coruja mesmo, né?

Você aprende diariamente, já aprendeu tanto, mas não mais que eu sendo sua mãe. Você me transformou e transforma todos os dias, a mãe que eu achei que seria pra você logo que nasceu já é uma versão tão diferente da que eu sou hoje. Uma versão tão melhorada, que entende todos os dias que estarmos juntos é tão mais importante que aquele brinquedo que eu comprei muito antes de você nascer. Que nossa parceria é construída diariamente, e eu já vejo o resultado disso quando você me olha nos olhos, chamando por mamãe, com um brilho no olhar que derrete meu coração, e me energiza tanto. Me faz querer fazer um mundo melhor por você, pra você.

As coisas não são e não estão fáceis no nosso mundo, mas você é a esperança pra esse mundo, pequena. Se tiverem mais crianças nesse mundão com sua inteligência, seu coração puro (e eu sei que tem), a gente continua acreditando que as coisas podem dar certo, Por você.

Você é o meu maior desafio. Eu leio livros sobre educação, pra tentar ser uma mãe melhor pra você. Eu aprendi a ler rótulos de alimentos, a combinações nutricionais, a separar o lixo corretamente, a cuidar de cabelos cacheados (eu aaaamo seus cachimbos), aprendi sobre educação positiva, a me controlar quando meu desejo é sair gritando pela casa (tá, as vezes isso acontece, mas é raramente rs). E ainda assim eu já errei muito, e você vem pra me mostrar tantos outros aprendizados importantes.

Eu sei que temos tanto pela frente ainda, minha tchuquíssima (já percebeu que você tem vários apelidos ne rs). Mas eu só tenho certeza de uma coisa: se continuarmos assim, juntas, companheiras, parceiras, conectadas como somos, venceremos todas as etapas que você terá nessa sua vidinha que está apenas começando. E saiba: eu serei sempre sua fã número 1, sua guia, seu porto seguro. Ouça a mamãe dizendo: I love you!

PL 2016: o álbum

Eu já falei diversas vezes aqui no blog sobre Project Life e o quanto sou apaixonada por esse projeto. É uma maneira linda de registrar nossas memórias através das fotos que tiramos. Eu acredito realmente que nossas memórias são importantes e devem ser registradas. E não só os grandes eventos de nossas vidas. Nosso dia a dia, especialmente depois da chegada da Clarice, Em 2012 eu fiz a primeira vez o projeto e, logo depois, mandei revelar o primeiro álbum. Na época eu ainda usava muito o photoshop (tinha tempo né rs), e fiz todas a páginas no PS. Em 2013 fiz outro álbum, de fotos do Instagram. Aí em   em 2014 eu comecei de novo o PL e não terminei o álbum devido a grande revolução na minha vida (leia-se gravidez rs), mas tenho vontade de terminá-lo. Ando fazendo umas páginas daquela época, quem sabe rs

Em 2015 eu descobri o aplicativo do project life. Minha vida mudou. Eu conseguia fazer todas as páginas na telinha do meu celular. Enquanto Clarice dormia no meu colo eu registrava nossa vidinha semana a semana. E o álbum pronto ficou absurdamente lindo. Claro que em 2016 eu continuei fazendo as páginas pelo aplicativo (e acho que tão cedo não vou parar).

Pra quem não liga muito para fotos ou registro do dia a dia, não vai entender o quão especial esses livros são. Eu pego na mão e revejo as primeiras semanas da Clarice em casa, um pedacinho da nossa vida tão lindamente registrado. É incrível rever e eu vivo pegando eles e me emocionando. Enfim, tudo isso pra falar que terminei o álbum de 2016, mandei revelar no shutterfly e ele ficou MARAVILHOSO, como sempre.

Único detalhe é que dessa vez fui taxada e tive que pagar uma grana extra para tê-lo em mãos. Mas mesmo assim valeu cada centavo.

Esse ano não mostrei as páginas aqui como fiz com o album de 2015, mas quem quiser vê-las, abaixo está o link para o álbum virtual do shutterfly. E já estou fazendo 2017, claro rs Usei o mesmo layout de capa em 2015, 2016 e usarei em 2017. Fica tão lindo vê-los juntos. Preciso mostrar também como estou organizando as fotos reveladas da Clarice em álbuns. Tudo organizado e lindo. Mas é assunto para outro post rs

Click here to view this photo book larger

Shutterfly baby photo books are the perfect way to preserve your baby’s precious moments.

#aosdois

Clarice aos dois anos e dois meses de idade:

  • fala (e sabe, e reconhece) todas as cores
  • conta o tempo todo (e sabe, e reconhece) os números
  • canta lindamente a musiquinha que inventamos para brincar: “Oi Clarice, oi Clarice, eu sou o Mickey, eu sou a Minnie, vamos brincar? Lá lá lá lá lá”

_DSC0751 copy

  • o animalzinho preferido é o Sapo
  • o desenho preferido é a “Luna” (e fala Luuuna, Júpiter, Claudio, na entonação dos personagens rs)
  • Filmes preferidos: Moana e Trolls
  • canta O DIA INTEIRO. De olhos vermelhos, cabeça, ombro, joelho e pé, um dia um passarinho, ó minha senhora e tantas outras musiquinhas, inclusive Don’t Stop da Madonna, Freak do Silverchair, ABC dos Jackson Five, Panic at The Disco (essas gostou quando ouvíamos no carro rs)
  • fala o número cinquenta desse jeito: cinquentauenta, cinquentauenta e um, cinquentauenta e dois (já aprendeu a falar cinquenta certinho, mas registrei aqui para não esquecer rs não me pergunte porque ela falava assim rs)
  • fala outras palavrinhas erradas que é a coisa mais linda: arcolílis, livlos, tlinta (ela é cebolinha), mamãe Finanda, papai Bluno, vovó Hiluisa, vovó Maliuda, Vovô Finando, Vovô Paulo, Titia Maliana, Titia Tathi, Titio Thiago
  • é simplesmente doida por números, canta a musica da “Mariana conta um” várias vezes ao dia, e sua Mariana conta até 20, 30, as vezes até oitenta ahahahah
  • livro preferido: Vamos aprender os números (óbvio rs). Mas também gosta do “Sons dos Animais”, O Carneiro Cacá e Sabores das Frutas

  • AMA livros. Claro que esse amor foi porque sempre oferecemos, mas ela está sempre com um livro ou uma revistinha na mão
  • Aprendeu a gostar de massinha
  • Brinquedo preferido: o amalelo e lalanja. É um abajur que projeta estrelas, corações e cores na parece e toca música. Desde um aninho ela AMA esse brinquedo, antes porque mudava as cores, agora porque projeta na parede as estlelinhas que ela tanto ama rs. Está na vibe do pianinho e do microfone também.
  • Come muito bem, arroz, feijão, legumes, frutas e verduras. Mas o alimento preferido é pipoca rs não pode ver o pote que quer. Sente o cheiro de longe. A panquequinha de banana também ainda está no top das comidinhas preferidas.
  • Não sei quanto está pesando e medindo, faz tempo que não vamos ao médico (graças a Deus). Quando formos atualizo o post.
  • Aprendeu a beber no canudinho (finalmente) e a comer sozinha com a colher (toda mocinha papando sozinha)

Isso é um pouquinho da Clarice aos dois anos e dois meses.