infancia

7 posts

a menina comedora de massinha

Clarice tem um defeito de fábrica. Um probleminha desde bem pequena. Um pequeno detalhe: ela come massinha. Sim, come massinha. Qualquer uma. Com glitter, caseira, a cheirosa, a fedida. Ela pega um pedacinho e come. Veja bem, quando ela era menor ela comia porque né, bebês botam tudo na boca. Cresceu e aprendeu que massinha não é alimento. Mesmo assim, ela come massinha. Ela brinca, faz os moldes, inventa histórias, e de repente, em dado momento, ela dá uma lambida. Em seguida, coloca um pedacinho na boca.

Ela tem seis anos. Quase sete. Faz contas matemáticas que muitas vezes chocam as pessoas ao seu redor. E come massinha.

Mais uma vez: ela sabe que não pode comer. Sempre que ganha uma massinha nova, “promete” que não vai comer, que só vai brincar. Ela AMA brincar de massinha, e muitas vezes tiramos dela e jogamos fora pelo fato de ter virado alimento. É chororô em seguida.

Da última vez que compramos ela,  pecado, disse que ia brincar de máscara para não comer. Ela é tão lógica nas soluções, mas não consegue colocar em prática. Quando vê, já comeu. Já me disse que não consegue se controlar.

E é isso mesmo. O cérebro da criança não faz o que ela quer. Não esta pronto, desenvolvido. Muitas vezes, nós, adultos com raiva, interrompemos um comportamento da cria achando que ela estrategicamente pensou para realizá-lo. E era apenas um cérebro que não obedece aos comandos porque não está todo pronto.

Longe de mim dizer que tudo bem, come aí a massinha, em um mundo de corona vírus ainda. Mas o que eu queria registrar aqui (inclusive pra mim mesmo), que muitas vezes nos resta acompanhar, vigiar, acolher e bora pra frente. É com o tempo que as coisas dão certo, já diria sei lá quem.

Sim, uma criança aprende tabuada e come massinha. E tá tudo bem.

O ócio na infância

Estava aqui, finalizando a  centésima reunião online – do dia –  durante a semana, quando Clarice me chama. Terminei e fui ver o que ela queria. Ela pediu pra eu balançar ela “radical” na rede. Ela pegou três pulseiras – uma vermelha, uma laranja e uma verde, e conforme ela ia me apontando as pulseiras eu deveria fazer o comando: parar, diminuir a velocidade ou seguir – radical é claro. No balanço da rede.

Clarice pode assistir TV durante a semana, um pouco antes do almoço. E durante a semana eu só deixo assistir Netflix. Primeiro, porque eu não estou vendo o que ela está assistindo e normalmente ela assiste as mesmas coisas no Netflix. É muito mais fácil controlar o Netflix do que YouTube. E segundo porque se ela assiste Youtube ela fica INSUPORTÁVEL. Não sei aí, mas tem cada canal IDIOTA indicado para crianças que dá vontade de chorar. E é óbvio, que ela gosta dos youtubers idiotas. Na minha visão rs então final de semana ela até assiste, mas normalmente fazemos outras coisas e ela nem lembra.

O impacto que a TV tem no comportamento dela é físico. Ela já é animadinha, se assiste um canal de games por exemplo, já fica loucona. Então o combinado é assim. Quando ela acorda, brinca até perto das 11h (e faz lição quando tem, tudo nos conforme).

Eu não estou aqui pra julgar ninguém que assiste TV não. O que acontece é que eu não dou contar de lidar com uma Clarice que assiste muita TV e YouTube. Então, pra facilitar a MINHA vida, eu limito rs

Ela é uma criança muito criativa, e eu credito isso ao fato de ter bastante tempo livre. Imagina diálogos, letras de músicas, brincadeiras. Mistura letras, números, legos, pelúcias, Inventa parques, rodovias, brinquedos. É a melhor coisa. Vê-la brincando, inventando, estar na platéia vendo uma infância lúdica é uma das coisas mais legais da minha maternidade.

Top 5 – filmes de desenho da infância

fimes-infanciaMinha infância foi regada a filmes. Eu vivo querendo alugar algum filme antigo pra assistir, ou até mesmo comprar pra tê-lo sempre que quiser. Esses dias estava lembrando dos filmes de desenho que eu e minha irmã éramos vi-ci-a-das. Literalmente. Decoramos as falas, assistimos inúmeras vezes.  Então, conheçam os filmes mais-mais da minha infância.

[spoiler /Ver Mais/ /Esconder/]

42108_353Em busca do vale encantado (1988): Embarque numa jornada a uma encantadora aventura pré-histórica com os amigos dinossauros Littlefoot, Saura, Espora, Patassaura e Petrúcio neste aclamado clássico para toda a família. Na distante época dos vulcões e perigosos terremotos, um jovem braquiossauro chadado Littlefoot é repentinamente deixado sozinho. Saindo à procura do lendário Vale Encantado, ele encontra quatro outros jovens dinossauros que concordam em acompanhá-lo em sua jornada. Numa ousada aventura para cruzar uma paisagem cheia de perigos, o bravo grupo encontra predadores famintos e desafios assustadores, enquanto aprende novas lições de vida e a importância do trabalho em equipe. Apresentado por Steven Spielberg e George Lucas com a direção de Don Bluth (Fievel – Um Conto Americano), Em Busca do Vale Encantado é brilhante e inventivo, um conto maravilhoso sobre a amizade, lealdade e amor que emocionará o público de todas as idades.

B00005BCK4.01._SCLZZZZZZZ_A menina e o porquinho (1973): O porquinho Wilbur está com medo porque sabe que, mais cedo ou mais tarde, vai virar o prato principal na mesa de alguém. Ele, que foi sempre criado na fazenda como um animalzinho de estimação, acaba nas mãos de um outro proprietário, nada amigável e está pressentindo que o pior pode acontecer. Para tentar escapar do que parece ser seu destino, Wilbur começa a pensar em um plano e, para isso, vai precisar da ajuda da aranha Charlotte e de quem mais puder salvá-lo desta. Animais ou pessoas de verdade, tanto faz, o importante é que todo mundo ajude o porquinho a se safar desta de uma vez por todas!

cinderela_filmeCinderela (1950): Uma das maiores realizações de Walt Disney, CINDERELA é um clássico de animação que ultrapassa os limites do tempo. CINDERELLA conta a universal história do sonho que se torna realidade através de inesquecíveis canções e encantadores personagens como ratinhos, a madrasta e a fada madrinha, Viva toda a fantasia, aventura e beleza deste grande clássico Disney que tem encantado gerações. Uma maravilhosa experiência que agora pode ser sua e de toda sua família para sempre.

fievel_posterFievel, um conto americano (1986): Na virada do século 19, a família Ratowitz emigra da Rússia para os Estados Unidos em busca de uma vida melhor. Não há gatos na América e as ruas são pavimentadas com queijo, acreditam eles. Chegando em Nova York, o pequeno ratinho Fievel fica maravilhado com a cidade e se perde dos pais. Começa uma incrível saga de encontros, desencontros, novas amizades e velhas ameaças através das perigosas ruas.

rei_leaoO rei leão (1994): Mufasa (James Earl Jones), o Rei Leão, e a rainha Sarabi (Madge Sinclair) apresentam ao reino o herdeiro do trono, Simba (Matthew Broderick). O recém-nascido recebe a bênção do sábio babuíno Rafiki (Robert Guillaume), mas ao crescer é envolvido nas artimanhas de seu tio Scar (Jeremy Irons), o invejoso e maquiavélico irmão de Mufasa, que planeja livrar-se do sobrinho e herdar o trono.

E vocês, quais seus filmes de desenho da infância?? Eu poderia citar vários outros, mas escolhi só esses!

[/spoiler]

Supercalifragilisticexpialidocious

poppins4-715158Aposto que vocês já sabem o que estou falando. Ontem a noite assisti com o Bruno o filme Mary Poppins, um dos filmes que eu e meus irmãos mais amávamos na nossa infância. E para minha surpresa eu me lembrava das músicas, das cenas, e assisti sorrindo que nem uma criança feliz. O Bruno não curtiu muito, achou beeeem forçado, mas que filme não seria se estivesse completando 40 anos? Adorei ter assistido e mais ainda entendido um pouco melhor as músicas, porque quando pequena eu e minha irmã cantávamos do jeito que entendíamos, imagina o que não saia??

O Filme

De 1964, a história se passa na Londres de 1910, na Rua das Cerejeiras. A família Banks, que procura desesperadamente uma babá para seus filhos Michael e Jane que são temperamentais e teimosos. Eis então que os ventos do Leste sopram e Mary Poppins chega para por ordem na bagunça, com seu jeitinho super especial.

Inspiração

Como a internet nos diz TUDO, lá fui eu procurar informações sobre o filme e a atriz  Julie Andrews, intéprete de Marry Poppins. Primeiro, o filme é baseado numa série de livros da escritora australiana Pamela Lyndon Travers ou (P.L. Travers). Não relata fielmente as histórias dos livros, os pais de Michael e Jane ainda tinham um casal de filhos gêmeos que não aparecem no filme. A atriz, Julie Andrews, está viva (foi a primeira pergunta do Bruno quando o filme começou). Ganhou vários prêmios como revelação, melhor atriz, dentre outros por causa do filme. E, tcharãn, além de ter feito outros filmes, ela é intérprete da voz da Rainha Lilian no filme Shrek (que aliás, em 2010 sai o quarto filme da série do ogro verde favorito).

mary-poppinsA mistura com desenho deixa o filme bem infantil. O DVD que eu me dei de presente é duplo em comemoração aos 40 anos  e reúne várias outras informações como: músicas inéditas, um quizz com perguntas do filme, uma entrevista com Julie bem interessante.

Fora a música que dá título a esse post, a minha outra preferida é A Spoonful of Sugar, que eu achava que o nome era Medicine go down, por causa do refrão.

Uma das minhas cenas preferidas é a dança de Bert com os pinguins. A série de livros dessa autora já virou musicais em diversos países. É pura magia para as crianças, que como eu, nunca vão crescer. O Bruno que me perdoe, mas eu A-DO-REI ter assistido o filme ontem e com certeza ainda assistirei tantas vezes mais. No fundinho, tenho certeza que ele também gostou, embora tenha repetido diversas vezes que poderíamos ter assistido o DVD novo do Batman – o cavaleiro das trevas.Sem problemas, a gente assiste hoje. ^-^